domingo, 21 de maio de 2017

76 - IMPORTANTE PRÉMIO ATRIBUÍDO AO ADMINISTRADOR DO PARQUE NACIONAL DA GORONGOSA





Mateus Mutemba, Administrador do Parque Nacional da Gorongosa, homenageado como um dos “National Geographic’s Emerging Explorers” de 2017


COMUNICADO DE IMPRENSA PARA DISTRIBUIÇÃO IMEDIATA 

Mateus Mutemba, Administrador do Parque Nacional da Gorongosa, homenageado como um dos “National Geographic’s Emerging Explorers” de 2017 Quinta-feira, 18 de Maio de 2017 Moçambique, África.
Todos os anos, a National Geographic Society em Washington, DC (EUA) reconhece e homenageia um novo grupo de conservadores da natureza, cientistas, talentosos e inspiradores, que estão a mudar o mundo, conhecidos como "Emerging Explorers". Mateus Mutemba, o Administrador do Parque Nacional da Gorongosa em Moçambique recebeu a notícia de que foi seleccionado como um dos “National Geographic’s - Class of 2017 - Emerging Explorers”. Enquanto Administrador do Parque da Gorongosa, Mateus Mutemba lidera a parceria público-privada entre o Governo de Moçambique, a Fundação Carr e as pessoas que vivem na "Zona de Desenvolvimento Humano" em torno do Parque da Gorongosa. A Gorongosa é um espectacular Parque Nacional de 4.000 quilómetros quadrados localizado na província de Sofala, no centro de Moçambique. Historicamente, as suas características biogeográficas únicas suportaram algumas das populações mais densas da fauna bravia de África. Cientistas de renome mundial - como o Professor da Universidade de Harvard, Edward O. Wilson - consideram a Gorongosa como uma das Áreas Protegidas mais ricas em biodiversidade do mundo. Mateus Mutemba e a sua equipa receberam atenção global e louvor pela sua bem-sucedida restauração do Parque da Gorongosa. Sob a sua liderança, a infra-estrutura do parque foi reconstruída, reabriu o turismo, foram edificadas instalações científicas e teve início um audacioso programa de pesquisa e formação cientifica. A recuperação da fauna bravia tem sido particularmente impressionante. Em 2004, os cientistas contaram menos de 10.000 animais durante um censo aéreo sobre o Parque. Mas, em 2016, contavam com quase 80 mil animais. Na última década, a Gorongosa tornou-se um dos maiores empregadores da província de Sofala (empregando cerca de 500 pessoas), um motor económico que melhora a vida de dezenas de milhares de pessoas nas comunidades vizinhas também através de programas de agricultura, educação, apoio na prestação de cuidados de saúde e formação de jovens locais ao nível superior (dentro e fora do país) em diferentes áreas do conhecimento. Com bastante experiência em desenvolvimento comunitário, Mutemba também orientou a Gorongosa para longe da definição tradicional de um parque nacional enquanto "fortaleza de conservação" para uma abordagem mais inovadora e inclusiva. A Gorongosa gasta cerca de dois terços do seu orçamento fora do Parque - em programas de desenvolvimento humano – e o resto dentro do Parque em actividades mais convencionais - como a fiscalização, a pesquisa científica e a conservação da fauna bravia. O Parque e seus parceiros de financiamento usam a Gorongosa como um centro de desenvolvimento humano para oferecer programas de saúde, educação e agricultura sustentável de longo prazo para as comunidades vizinhas. Por sua vez, as comunidades locais estão mais propensas a ver o Parque como um activo e um aliado e assim evitar actividades que possam ameaçar o futuro do Parque, tais como caça ilegal e desmatamento. Num círculo virtuoso de apoio mútuo, Mutemba e a sua equipa usam a Gorongosa para catalisar o desenvolvimento humano e proteger a fauna bravia e a biodiversidade ao mesmo tempo. Page 2 of 4 Mateus Mutemba tem um profundo conhecimento das comunidades locais: juntou-se ao Projecto Gorongosa em Janeiro de 2008 como Director de Relações Comunitárias e desempenhou essa função até ser nomeado Administrador do Parque em 2011. (Faz também parte do Conselho de Administração do Projecto da Gorongosa.) Desde 2011 (foi reeleito em 2016), é Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Fundação para a Conservação da Biodiversidade em Moçambique (Biofundo), representando o Projecto da Gorongosa. Em resposta à recepção da notícia da nomeação, Mutemba comentou: "É uma grande honra ser nomeado como um dos 14 beneficiários do “National Geographic Society Emerging Explorers Award 2017”. Esta é uma tremenda oportunidade e estou mais do que grato por receber este reconhecimento, juntamente com companheiros tão talentosos escolhidos em várias partes do mundo. Tem sido uma experiência inestimável e muito desafiadora, mas gratificante, trabalhar nesta parceria pública e privada para gerir o Parque Nacional da Gorongosa. Agradeço ao Governo de Moçambique, à minha família, a todos os meus incansáveis e dedicados colegas do Parque Nacional da Gorongosa, às comunidades locais e a todos as organizações locais e internacionais, parceiros públicos e privados pelo seu compromisso com a nossa missão e por permitirem-me crescer e conseguir isto através do trabalho que realizamos juntos para proteger este tesouro de Moçambique e colocá-lo ao serviço das comunidades vizinhas. Evoco nesta ocasião as palavras tão visionárias quanto actuais de Nelson Mandela na abertura do quinto Congresso Mundial dos Parques em 2003: “Um futuro sustentável para a humanidade depende mais do que qualquer outra coisa, de uma parceria cuidada com a natureza " Mateus Mutemba junta-se aos treze outros membros do prestigioso grupo “ Emerging Explorers ” , provenientes de Borneo, Itália, Angola e Estados Unidos, entre outros países. Não só estes são exploradores geograficamente diversificados, mas também representam uma variedade de campos: da fotografia, glaciologia, conservação, geografia, engenharia, educação e até mesmo odontologia. De acordo com a National Geographic, “estas catorze pessoas ousadas e com ideias transformadoras estão a levar a missão da National Geographic para a frente e a melhorar o mundo à medida que prosseguem o seu caminho. Explorarão novas fronteiras e encontrarão formas inovadoras de resolver alguns dos maiores desafios que o nosso planeta enfrenta.” A Classe 2017 de“Emerging Explorers”será homenageada no National Geographic Explorers Festival em Washington, DC, em Junho. Esta não é a primeira honra internacional para Mateus Mutemba. Em Janeiro de 2017, partilhou o palco com Greg Carr (Presidente da Fundação Carr), tendo cada um deles recebido o“Good Steward Award”da“International Conservation Caucus Foundation” (ICCF) em Washington, DC, em reconhecimento à sua liderança em conservação e desenvolvimento humano na Gorongosa. Page 3 of 4 Em 2013, Mutemba foi homenageado como "Herói de Conservação do Ano" no 36º "International Wildlife Film Festival", em Montana, nos EUA. No mesmo ano Mutemba também recebeu um Prémio de Mérito da Organização Mundial das Famílias (WFO) em reconhecimento ao trabalho realizado com as comunidades da zona tampão do Parque Nacional da Gorongosa. Sobre Mateus Mutemba Mateus nasceu em 1972 em Maputo e é casado e tem duas filhas. Graduou-se em 1997 pela Universidade Eduardo Mondlane (UEM) em Maputo com licenciatura em História. Os seus estudos de pós-graduação foram efectuados na Universidade Nacional Australiana em Camberra, onde completou um Diploma de Pós-Graduação em Administração de Desenvolvimento em 2004. Concluiu um Mestrado em Políticas Públicas em 2005 na mesma universidade. Além disso, ele estudou Gestão de Áreas Protegidas na Universidade de Montana em 2009. Desde 1994, Mateus trabalha no desenvolvimento social com ONGs e empresas do sector privado, incluindo Helvetas, Educo Austrália, Austral Consultoria Moçambique e a Agência das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO) em Moçambique. De 1994 a 1997, Mutemba foi monitor dos cursos de "Antropologia Cultural" e "Antropologia Política" na Universidade Eduardo Mondlane. Durante esse período, ele também foi assistente de pesquisa de campo para vários projectos, incluindo "Mulheres e Lei" na África Austral e a primeira pesquisa sobre "Percepções de Pobreza" em Moçambique realizada pelo Centro de Estudos da População da UEM no âmbito de uma pesquisa global liderada pelo Banco Mundial. Anteriormente, actuou como investigador na VoxPopuli, uma empresa brasileira especializada em levantamento de opiniões políticas em 1993-4 como parte das primeiras eleições gerais multipartidárias em Moçambique. Entre 1994 e início de 1998, Mateus Mutemba foi locutor em língua portuguesa no Canal Nacional da Rádio Moçambique. Entre 2006 e 2008, leccionou "Gestão do Ciclo do Projecto", no Instituto de Ciência e Tecnologia de Moçambique (ISCTEM). Desde o final dos anos 90, ele tem viajado extensivamente pela África Austral, formando-se e recolhendo experiências sobre a gestão comunitária de recursos naturais, com ênfase no turismo. Sobre o Parque Nacional da Gorongosa e o Projecto da Gorongosa O Parque Nacional da Gorongosa é o principal parque nacional de vida selvagem de Moçambique, localizado na extremidade sul do Grande Vale do Rift do Leste Africano. É o lar de alguns dos ecossistemas biologicamente mais ricos e geologicamente mais diversos do continente africano. As suas fronteiras abrangem as grutas e desfiladeiros do planalto de Cheringoma, as vastas savanas do Vale do Rift, e a preciosa floresta tropical da Serra da Gorongosa. O Projecto da Gorongosa integra a conservação e o desenvolvimento humano com a compreensão de que um ecossistema saudável beneficiará os seres humanos, que por sua vez serão motivados a apoiar os objectivos do Parque da Gorongosa. O Projecto da Gorongosa recebeu os seguintes prémios colectivos: • 2015: Condecoração atribuída pelo Presidente de Portugal: “Membro da Ordem de Mérito da República de Portugal”; • 2015: “Reconhecimento pela contribuição para um Moçambique inclusivo e com crescimento sustentável”, Fórum Económico e Social de Moçambique, Prémios MOZEFO. Page 4 of 4 Para mais informações: Se desejar receber mais informações sobre este assunto, ou se pretender marcar uma entrevista com Mateus Mutemba ou com as pessoas envolvidas no projecto, por favor ligue para Vasco Galante através de +258 822970010 ou envie email para vasco@gorongosa.net. Para informações de carácter genérico, por favor consulte www.gorongosa.org Para mais informações sobre“National Geographic’s Emerging Explorers”, por favor consulte:
 https://www.nationalgeographic.org/newsroom/fourteen-world-changers-named-2017-nationalgeographic-emerging-explorers/



NOTA DO NÚCLEO COORDENADOR DO GAG

Em nome de todos os membros do Núcleo Coordenador do GAG apresento ao ilustre Administrador do Parque Nacional da Gorongosa, Dr Mateus Mutemba, os nossos parabéns pelo prémio recebido, que representa uma justa homenagem ao Homem e ao Técnico que tão bem tem conduzido a administração da mais importante área de conservação de Moçambique.

O nosso agradecimento ao Dr. Vasco Galante pelo envio do Comunicado, que com muito prazer inserimos aqui.

Por acharmos oportuno, recorremos ao Blog oficial do PNG para recordar outros dados biográficos do homenageado, narrados na primeira pessoa, que complementam os que constam do Comunicado Oficial acima reproduzido:

Mateus Mutemba

Administrador do Parque


"Nasci a 20 de Agosto de 1972 em Maputo. Sou casado e pai de duas filhas. Licenciei-me em História pela Universidade Eduardo Mondlane, em Maputo, em 1997. Em 2004 concluí o Diploma de Pós-Graduação em Administração para o Desenvolvimento pela The Australian National University, em Canberra. Concluí um Mestrado em Políticas Públicas, na mesma Universidade, em 2005. Entre outras formações de curta duração participei em 2009, num curso de gestão de áreas de conservação na Universidade de Montana, EUA.
Percurso profissional
Desde 1994 trabalhei em desenvolvimento social tendo servido numa ONG Suiça (Helvetas), e em empresas do sector privado (Educo – Austrália, e Austral Consultoria) e uma agência das Nações Unidas (FAO). Fui monitor das cadeiras de "Antropologia Cultural" e "Antropologia Política", na Universidade Eduardo Mondlane, entre 1994 e 1997. No mesmo período fui também assistente de investigador de campo para diversos projectos, incluindo "Mulher e Lei" na África Austral e o primeiro levantamento sobre "Percepções de pobreza" em Moçambique liderado pelo Banco Mundial. Fui inquiridor na Voxpopuli, empresa Brasileira vocacionada na pesquisa de opinião, em 1993-4 no âmbito das primeiras eleições gerais multipartidárias em Moçambique.
Entre 1994 e início de 1998, fui locutor de língua Portuguesa na Emissão Nacional da Rádio Moçambique. Leccionei a cadeira de "Gestão do Ciclo de Projectos", no Instituto Superior de Ciências e Tecnologia de Moçambique (ISCTEM), entre 2006-2008. Juntei-me ao Projecto de Restauração do PNG em Janeiro de 2008. Fui Director de Relações Comunitárias do Parque Nacional da Gorongosa durante cinco anos. Sou administrador do Parque Nacional da Gorongosa, desde 2011. Sou membro do Conselho de Administração da Fundação “Gorongosa Restoration Project”. 
Representei o Projecto de Restauração da Gorongosa na capacidade de Vice-Presidente da Mesa da Assembleia Geral da Fundação para a Conservação da Biodiversidade em Moçambique, (Biofundo), entre 2011 e 2015. Desde finais dos anos 90 tenho viajado extensivamente pela África Austral em formação e trocas de experiência sobre gestão comunitária dos recursos naturais, com ênfase no turismo. 
Prémios / Reconhecimento
"Herói da Conservação do ano de 2013" no 36° “International Wildlife Film Festival” em Montana, EUA, como resultado do trabalho da equipa do PNG na restauração da Gorongosa; Prémio de Mérito da Organização Mundial para as Famílias (WFO), em reconhecimento do trabalho levado a cabo com as comunidades da zona tampão do Parque da Gorongosa. Prémio atribuído durante a 9ª Cimeira da WFO, Berlim, Dezembro 2013."

Lisboa, 21 de Maio de 2017

Celestino Gonçalves

(Membro decano do NC do GAG)




terça-feira, 21 de março de 2017

75 - 11º ANIVERSÁRIO DO GAG



Como é habitual desde a sua fundação, em 2007, o Grupo de Amigos da Gorongosa (GAG) realiza todos os anos um Almoço-Convívio comemorativo dos seus aniversários, tendo o evento deste ano sido efectuado no passado dia 18, em Lisboa, no Hotel "VIP Executive ART'S", situado na zona do Parque das Nações.

Ao contrário dos últimos quatro anos (2013/2016) em que tais almoços tiveram considerável  número de convidados oficiais do Parque Nacional da Gorongosa e do próprio GAG, com  "Mesa de Honra" e "Mesas VIP", este ano o Núcleo Coordenador optou por um "Almoço Informal", sem tais convites nem  distinção de mesas.  Esta experiência atingiu os objectivos pretendidos, que era proporcionar uma maior interacção entre os Amigos da Gorongosa presentes, o que nos anos anteriores não acontecia devido ao programa protocolar que absorvia praticamente todo o tempo em discursos de circunstância,  condicionando o convívio salutar entre as pessoas que vindas dos mais diversos pontos do país e até do estrangeiro  reencontram  e conhecem novos amigos nestes Almoços, matando saudades e recordando momentos agradáveis das suas vivências em Moçambique.

Dada a alteração referida, que foi previamente  comunicada através de Circular enviada directamente aos membros do GAG e, ainda, a sua divulgação nas páginas das redes sociais (Blog e Facebook do GAG), o número de presenças neste Almoço diminuiu consideravelmente, como já prevíamos,  em relação aos quatro anos anteriores em que a média era de 160 pessoas.  Participaram 62 pessoas dispostas em 9 mesas, numa sala rectangular muito bem organizada, não faltando as projecções habituais  de recentes e  maravilhosos filmes da Gorongosa através de dois ecrãs de TV.

O facto de termos optado por um serviço de Buffet, que foi do agrado geral, também contribuiu   para que aqueles objectivos fossem alcançados, pois facilitou a troca de  impressões  entre as pessoas enquanto se serviam.

O Núcleo Coordenador do GAG, que este ano e pelas razões expostas não teve  intervenção oratória durante o Almoço, para além dos cumprimentos de boas vindas pessoais junto da entrada da Sala e na medida do possível durante o Convívio,  deseja agradecer a todos os participantes a sua presença e a alegria que partilharam connosco  durante as cerca de 5 horas que durou o Convívio. 

Para os Amigos que não puderam estar presentes, alguns deles por razões imprevistas e de última hora, deixamos um abraço de esperança e contamos com a vossa presença no próximo Convívio

Estamos certos que demos mais um passo em frente para mantermos viva a amizade que  cimentámos ao longo dos 11 anos de vida do GAG, assim como a paixão que  nos une que é a nossa querida GORONGOSA.

Em nome de todos os membros do NC do GAG, endereço a todos os Amigos da Gorongosa

SAUDAÇÕES GORONGOSIANAS!

Lisboa 20 de Março de 2017

Celestino Gonçalves
(Membro decano do NC)


SEGUEM ALGUMAS FOTOS DO ALMOÇO, PODENDO OUTRAS SER VISTAS NO ÁLBUM DA NOSSA COLEGA DO NC, GRAÇA MOREIRA, AQUI


















































F I M










sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

74 - ALMOÇO COMEMORATIVO DO 11º ANIVº DO GAG


Foto de Graça Moreira.
CIRCULAR Nº 1/GAG/2017

ASSUNTO: ALMOÇO COMEMORATIVO DO 11º ANIVERSÁRIO DO GAG A REALIZAR DIA 18 DE MARÇO DE 2017, EM LISBOA
DESTINATÁRIOS: AMIGOS DA GORONGOSA

Caríssimas amigas / amigos
Após o Almoço Comemorativo do 10º Aniversário do GAG decorrido em Lisboa em Março de 2016, o Núcleo Coordenador Activo colocou aos restantes membros a sua sucessão, a fim de novos elementos darem sequência ao trabalho desenvolvido ao longo dos dez anos de vida do nosso Grupo. Por motivos diversos, ligados a compromissos pessoais de cada um, não foi encontrada uma solução ideal.
Considerando a importância de manter o convívio que sempre nos uniu nas recordações ligadas não só ao Parque Nacional da Gorongosa, mas também á Defesa e Proteção da Natureza nas suas múltiplas vertentes, decidiram os signatários manter os nossos almoços anuais, embora num conceito prioritariamente INFORMAL, como fizemos nos primeiros 6 anos de vida do GAG, sem os habituais Convites Oficiais, nem “ Mesas de Honra “, nem discursos à excepção de umas breves palavras de Boas Vindas e de Agradecimento aos que nos honrarem com sua presença.
Respeitando o princípio de ajustar nossos almoços em Lisboa à data em que decorre a Bolsa de Turismo de Lisboa – BTL, que este ano decorrerá de 15 a 19 de Março próximo, decidimos marcar para 18 deste mesmo mês, sábado, o nosso 11º almoço anual do GAG.
A escolha desta data tem por objetivo permitir aos participantes no almoço, visitarem posteriormente a BTL onde estará um vasto Pavilhão com dezenas de stands de países diversos, entre os quais o stand de Moçambique e do Parque Nacional da Gorongosa. Como habitualmente haverá diverso folclore, mostras de artesanato, tasquinhas e restaurantes com gastronomia regional e muita informação sobre os melhores destinos turísticos do mundo que deliciarão a presença de quem quiser reservar parte da tarde para essa visita.
Para o efeito, desde já agradecemos a gentileza de nos informarem com a maior brevidade, a disponibilidade de nos honrarem com vossa presença neste almoço convívio do Grupo de “Amigos da Gorongosa “, de que todos e cada um já fazem parte, por terem estado presentes, pelo menos uma vez, em nossos Almoços anuais.
Agradecemos que respeitem a data de dia 2 de Março próximo, como limite de prazo para CONFIRMAÇÃO de vosso interesse em estarem presentes. E porquê dia 2 de Março? Precisamente porque a escolha do Hotel ou Restaurante a contratar para este almoço terá de ser feita com um mínimo de 15 dias de antecedência e dependerá do número de presenças que tivermos confirmadas.
O local será em Lisboa, perto do Parque das Nações, para poderem, como acima se disse, visitar a BTL, se assim o desejarem, sendo o pagamento feito no local.
Pensamos que seria interessante este ano voltarmos ao tipo de almoço “Buffet Livre“, onde o menu é bastante mais variado do que os habituais 2 pratos de peixe e carne. Sobretudo porque julgamos que isso permitirá um muito maior convívio entre os presentes, que é o principal objectivo deste e de futuros almoços a realizar.
Mas, como também acima foi referido, só poderemos concretizar mais pormenorizadamente o local, tipo de almoço, menu, preços, etc , após sabermos qual o número de convidados que iremos ter. Podemos no entanto informar que vamos tentar negociar o preço do almoço abaixo do custo dos almoços que fizemos nos últimos anos.
Contamos mais uma vez com sua presença, trazendo, se possível, mais amigos para este 11º almoço anual do GAG, que será, como os anteriores, um convívio de amizade africana e de AFIRMAÇÃO pela Defesa e Proteção da Natureza, nomeadamente do Parque Nacional da Gorongosa, sua fauna e suas gentes.
Ficamos gratos por estar connosco.
A inscrição poderá ser feita para a nossa Caixa de Correio, indicando o nome das pessoas que vão estar presentes e o nome da cidade da sua origem. No caso de crianças convém referir a sua idade para poderem ser enquadradas na isenção ou pagamento parcial.
Endereço de e_Mail do GAG: grupoamigosdagorongosa@gmail.com
Para esclarecimento de dúvidas ou informações usar o mesmo contacto ou ligar para qualquer dos signatários para o respectivo nº de telemóvel que vai indicado.
Kanimambo !!...
Abraço Gorongosiano dos
Membros do Núcleo Coordenador do GAG:
Celestino Gonçalves – Telemóvel nº 918691611
José Canelas de Sousa – Telemóvel nº 968012479
Fernando Gil – Telemóvel nº 962595102
Mostrar mais reações
Comentar

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

72 - NOTÍCIA DA HOMENAGEM PRESTADA PELO GAG A 2 "HEROIS DA GORONGOSA"



Conforme noticiamos neste Blog (post 71), decorreu no passado dia 19, em Maputo,  na Fundação Fernando Leite Couto, uma cerimónia informal de entrega dos prémios e diplomas de "Membro de Honra" que o Grupo de Amigos da Gorongosa (GAG) atribuiu durante a  Gala do seu 10º aniversário realizada em Lisboa no mês de Março passado, aos técnicos moçambicanos de fauna bravia, Baldeu Chande e Roberto Zolho, um acto que teve eco no principal jornal da capital, o  "Notícias".

Reproduzimos, a seguir, o recorte da notícia que o referido jornal  publicou na sua edição de hoje, juntamente com a foto que encima este post, ao mesmo tempo que manifestamos o nosso agrado pelo interesse deste importante órgão da comunicação social de Moçambique na divulgação deste singelo acto, que o GAG  muito valoriza pelo facto de se tratar de uma justíssima homenagem a dois consagrados técnicos da fauna bravia moçambicanos, merecedores, portanto, que os seus conterrâneos conheçam que também fora do  país o seu trabalho em prol da restauração da Gorongosa em particular, e da fauna bravia em geral, é reconhecido e aplaudido.



NOTA DO NÚCLEO COORDENADOR DO GAG

Dado que o "Notícias" referiu no título e subtítulo da notícia  que os homenageados receberam o galardão de "Heroi da Gorongosa", é nosso dever esclarecer que o título que o GAG lhes atribuiu foi o de "Membro de Honra". Na verdade, e como ficou dito na nossa postagem 71,  aquele galardão foi-lhes atribuído antes pelo Clube Empresarial da Gorongosa, durante as suas Galas anuais de 2014 e 2015.

Maputo, 29 de Dezembro de 2016

Celestino Gonçalves

- Decano e membro no NC do GAG -



segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

71 - ENTREGA DE PRÉMIOS A DOIS "HEROIS DA CONSERVAÇÃO DA GORONGOSA"




ENTREGA DOS PRÉMIOS DA MERECIDA HOMENAGEM DO GRUPO DE AMIGOS DA GORONGOSA (GAG) AOS TÉCNICOS MOÇAMBICANOS DE FAUNA BRAVIA, BALDEU CHANDE E ROBERTO ZOLHO

Os homenageados - Baldeu Chande e Roberto Zolho


O Grupo de Amigos da Gorongosa (GAG), criado em Portugal em 2007 por um grupo de antigos e actuais colaboradores e admiradores do famoso Parque Nacional da Gorongosa, homenageou, durante a gala do seu 10º aniversário, realizada em Lisboa no passado mês de Março, seis individualidades que se notabilizaram, quer no passado, quer  no presente, no desenvolvimento deste que é considerado o mais belo Santuário da vida bravia de África. 

Nessa cerimónia não puderam estar presentes os dois consagrados técnicos de fauna bravia, moçambicanos, Baldeu Chande e Roberto Zolho, abrangidos por tal distinção. Coube, na altura, ao decano do núcleo coordenador do GAG e co-fundador deste grupo, Celestino Gonçalves, representar os agraciados no recebimento dos respectivos diplomas e troféus, tendo na altura tecido rasgados elogios acerca das qualidades humanas e profissionais de ambos, destacando  a sua acção na Gorongosa, que ajudaram a sair das cinzas após longo período de abandono em que mais de 95% dos seus efectivos haviam sido dizimados pelos furtivos, pelas populações locais e pelos próprios militares e guerrilheiros envolvidos na guerra interna que ocorreu  de 1977 a 1992, bem como  durante  os dois anos que se seguiram ao acordo de paz, pois só em 1994  ali foi restabelecida a autoridade do Parque.

Momento em que o representante dos técnicos profere o elogio a Baldeu Chande 
após receber o troféu que lhe foi atribuído durante a Gala do 10º anivº do GAG em Lisboa

Referiu o decano do GAG que a  tarefa prioritária desses técnicos foi precisamente o restabelecimento da autoridade do Estado no Parque, que envolveu a formação de guardas e fiscais,  a sensibilização das populações, o combate à caça furtiva e a restauração das infraestruturas essenciais à instalação dos técnicos e restante pessoal, visto que tudo ali fora arrasado durante a guerra civil. Recordou ainda Celestino Gonçalves que se tratou de um  trabalho verdadeiramente ciclópico,  muitas vezes com risco das próprias vidas, que ambos ali desenvolveram, primeiro o Baldeu Chande, de 1994 a 1996, como coordenador de um projecto algo insipiente  quanto a  recursos financeiros, depois o  Roberto Zolho, como administrador do Parque, de 1996 a 2003. Mais tarde (Chande 2005/2006 e Zolho 2005/2007) estes técnicos  voltaram ao Parque para continuarem a obra  que eles próprios iniciaram e que agora conhecia novos desenvolvimentos com o envolvimento do filantropo americano Greg Carr, através de um projecto financiado pela sua própria Fundação,  que prevalece até ao presente e tem perspectivas de continuar por muitos mais anos.

Celestino Gonçalves proferindo o seu discurso de elogio a Roberto Zolho na Gala do GAG

Concluiria o representante dos homenageados, que os trabalhos por eles desenvolvidos de 1994 a 2003, constituíram  as bases que permitiram àquele filantropo implementar, a partir de 2005, o  grande projecto de restauração da Gorongosa, cujos sucessos são bem conhecidos, quer no contexto da recuperação das espécies e preservação dos ecossistemas do Parque, quer no apoio às populações locais através de programas de âmbito social, nomeadamente nas áreas da saúde, educação e agricultura.

Aproveitando a sua vinda a Moçambique de visita à família aqui residente, o decano do GAG (signatário desta notícia) foi portador dos referidos diplomas e  troféus, tendo, em representação do núcleo coordenador do mesmo grupo, feito a entrega dos mesmos aos destinatários, numa cerimónia privada  que decorreu na Fundação Fernando Leite Couto, hoje, em Maputo, seguida de um almoço também íntimo. 


Momento de descontracção com os homenageados, hoje, em Maputo, antes da entrega dos prémios.
Local: Sala de reuniões da Fundação Fernando Leite Couto, gentilmente cedida pelo seu director executivo Dr Gil Filipe

Os momentos desta cerimónia foram registados, como se impunha, para divulgação não só nos órgãos do GAG, mas também na imprensa da capital de Moçambique. É mais um tributo singelo que queremos dedicar a estes gigantes da Conservação,  aqui na sua terra, para que  os seus conterrâneos   saibam quanto são admirados e  estimados fora do país, tal   como  são na sua pátria onde já foram agraciados com o título de   “Herói da Conservação da Gorongosa” atribuído pelo Clube Empresarial da Gorongosa durante as suas Galas anuais - Baldeu Chande em 2014 e Roberto Zolho em 2015.


Baldeu Chande, após ter recebido o prémio de "Heroi da Conservação"em 2014


O director da ANAC, Dr Bartolomeu Soto, prepara-se para entregar o prémio de "Heroi da Conservação da Gorongosa" ao Engº Roberto Zolho, durante a Gala de 2015


Os restantes quatro prémios e diplomas foram atribuídos às seguintes individualidades: Adelino Serras Pires (a título póstumo), antigo industrial de turismo com ligação ao PNG, devido à acção da sua empresa no desenvolvimento e exploração da parte hoteleira e dos safaris guiados no Parque, nas décadas de 50 e 60 do século passado,  e à divulgação que ele próprio desencadeou em muitos países na qualidade de promotor de safaris; a Greg Carr, presidente da “Carr Foundation” (financiadora do projecto de restauração da Gorongosa), grande  entusiasta e impulsionador do  desenvolvimento  do Parque e da melhoria das condições de vida das populações locais; a Helena Freitas, Vice-Reitora da Universidade de Coimbra, pela sua acção no estabelecimento de parcerias com o Parque nas áreas científicas e pelo apoio dado a estudantes idos da Gorongosa para aquela Universidade; a Cândida Pinto, jornalista da cadeia de TV portuguesa, SIC, pela divulgação do Parque a nível nacional e  mundial, através de filmes e documentários por ela dirigidos, focando não só o Parque, mas também a vida das populações periféricas com particular ênfase das crianças.

Os troféus em cristal atribuídos aos seis homenageados na Gala do GAG de Março de 2016

Após a entrega dos prémios, felicitei os homenageados em nome de todos os membros do Núcleo Coordenador do GAG, pelo brilhante trabalho desenvolvido, quer na Gorongosa quer noutras áreas de conservação do País, ao mesmo tempo que lhes transmiti a nossa mensagem de encorajamento para prosseguirem as suas brilhantes carreiras, agora que Moçambique vem enfrentando cada vez mais dificuldades em travar a onda de abates de elefantes e de rinocerontes, que grassa em África onde tais animais ainda existem e que é alimentada pelos  traficantes, gente  sem escrúpulos, quer nacionais quer estrangeiros.  

Em resposta às nossas breves palavras, os técnicos em causa agradeceram com palavras muito simpáticas as homenagens de que foram alvo e  os respectivos troféus e diplomas, bem como os emblemas (pins) do GAG, que acabaram de receber, solicitando-nos    que sejamos  portadores de um abraço especial para cada um dos membros do  núcleo coordenador, que felicitam   pelo importante trabalho que vêem desenvolvendo nos últimos dez anos em prol da divulgação do Parque Nacional da Gorongosa.

Dado que as actividades normais da FFLC foram suspensas para férias dos seus funcionários e colaboradores, incluindo do próprio restaurante, os três intervenientes  neste acto foram confraternizar no Jardim dos Professores (local que se tornou emblemático na cidade devido à  sua localização privilegiada, junto da Escola Josina Machel - antigo Liceu Salazar -, com vista panorâmica para a baía),  em cujo restaurante almoçaram e passaram momentos agradáveis recordando o passado comum na luta pela conservação da fauna.

Desejamos agradecer à direcção da novel e consagrada  Fundação Fernando Leite Couto a colaboração que nos foi dada neste singular gesto do GAG, salientando ainda a atitude  do amigo Gil Filipe, seu director executivo,  que na sua qualidade de jornalista e amigo da Gorongosa se disponibilizou para bater as fotos e preparar uma notícia do acontecimento para publicação nos próximos dias no principal jornal do país - o Notícias.

As fotos que se seguem revelam a satisfação dos homenageados pelo nosso gesto,  facto que, aliado às palavras que me dirigiram, são o garante de que, tal como na atribuição dos outros quatro prémios, o NC do GAG esteve certo na escolha destes dois "gigantes" da Conservação na primeira nomeação de "Membros de Honra" dos seus dez anos de vida. 

Maputo, 19 de Dezembro de 2016

Celestino Gonçalves

(Decano e membro do NC do GAG)  


                                        FOTOS DA CERIMÓNIA

Entregando o prémio a Baldeu Chande

Felicitando o homenageado


Entregando o prémio a Roberto Zolho

Felicitando o homenageado

Uma pose com os homenageados junto da placa da Fundação

Os homenageados vêem os diplomas já na esplanada do Jardim dos Professores

O brinde durante o almoço no agradável restaurante do jardim dos Professores


F I M